Comunicado,



O menu não está funcionando por conta de umas mudanças que estou fazendo no blog.

Em breve tudo estará pronto.Aos meus visitantes peço desculpas pelo transtorno porém coloquei um sofá para que todos não se cansem muito.

A partir de agora todas as postagens do Blog "Assado, Cozido ou Cru?" e"Palavras alheias já que minhas não são." estarão neste Blog:

Entre-Laços!
Enfim tudo Azul e ponto.


Oi!

Oi!
Entrem e sintam-se a vontade pra ler, comentar.É sempre uma honra recebê-los.

23/05/2013

E agora José?


Já falei que tenho Pânico, fico depressiva, já me disseram que tenho Bipolaridade, (mas quanto a isso eu nem penso porque sou neta de italiano e a família inteira tem sangue quente), TOC, Piti e etecetera.

No fundo no fundo daqui a pouco nem sei quem sou mais. Porém é fato que meu Pânico é terrível e me poda muito, o maior medo de quem tem Síndrome do Pânico é da morte, é uma coisa que a gente não consegue lidar, eu pelo menos não sei e não aceito e esta não aceitação é o que me prende e me faz entrar em depressão.

Mas vamos ao que interessa; eu não vou ao médico tenho pavor que eles me mandem fazer exames, se vou pego os exames e jogo na gaveta e finjo que eles nem existem, às vezes eles ficam miando pra mim:

-Olha eu aqui, você tem que marcar e me levar lá no laboratório...

-Finjo que nem ouvi, mas eles são persistentes e ficam miando o tempo todo na minha orelha, e pra que eles me deixem em paz eu vou e marco,  mas não vou fazer, desmarco ou dou uma “de João sem braço” e perco o dia do exame. É sempre assim eu marco e desmarco marco e desmarco até vencer o prazo e eu ter que ir buscar novos pedidos e aí a ladainha toda de novo.

Não faço os exames, e depois fico em depressão porque penso que tenho algo e daí fica o sentimento de culpa, o medo de não ter ido ver se está tudo bem. 

Pra voltar no médico e pedir novos exames eu vou dopada de calmante, isto na primeira vez, na segunda eu não vou nem dopada no fim alguém tem que ir buscar por mim, sempre sobra pro marido ou a filha isso quando eu não fujo do hospital e ainda sobra pra eles mesmos irem ver o que deu nos resultados, acho que a cidade inteira sabe que faço isso, é dentista (mas ele não podem mexer na boca deles é na minha certo?) no Cardiologista, mas ele me conhece de longa data e por aí vai.

Eu tomei coragem de ir depois de muitos anos no Ginecologista, fiz os exames e levei eu mesma, foi um feito na minha vida de medos, bendita seja a hora que fui pra não dizer outra coisa, ele olhou os exames e disse:

-Elaine está tudo bem com você, porém existe um algo qualquer que nem lembro (porque faço questão de não lembrar mesmo) não é nada, mas vamos acompanhar cada seis meses.

 UIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

 Foi o mesmo que dizer:

- suma, desapareça, nunca mais vá ver nada, não pergunte o que é porque de nada vai adiantar, corre e passe longe de tudo que tiver na frente GINECO.

Porém como eu disse o gato Miiiiiiiiiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaa, aí que ódio que eu tenho dele, nem sei se dele ou de mim mesma.

Estamos em 2013 e pensei, quer saber isto aconteceu em 2009 é melhor correr atrás do prejuízo, marquei uma GINECOLOGISTA aí que medo. No dia da consulta tive um Piti, não consegui ir, mas os exames eu teria que fazer, advinha quem foi pedir os exames pra médica?

Ele, o marido, eu não ia conseguir, não ia a deixar colocar a mão em mim, eu só ia chorar e na minha idade o povo ia pensar que eu estava com os dias contados, pedi a ele que conversasse com ela, levasse meus antigos exames e pegasse só o essencial. Minha sorte é que a médica teve Síndrome do Pânico e entendeu o que acontece.

Eu não sabia que ela atendia num local onde só tem ginecologistas, como marquei pelo hospital do convenio pensei que era no hospital, mas não, era numa clínica ao lado que faz parte do hospital que só tem médicos desta especialidade, ou seja, só tinha mulheres.

Imaginem o coitado do marido... Até chamar meu nome e ele ir assinar o papel tudo bem porque poderiam pensar que eu estivesse lá fora esperando e depois entraria, mas não entrei.

Ele me contou que a médica sai da sala vem no corredor e chama o nome da paciente, ele se levantou e todo mundo ficou em silêncio total, parecia que não havia mais ninguém no recinto nem mesmo as outras médicas que saíram e viram o meu marido ir em direção à sala ficaram quietinhas, ela olhou pra ele e disse:

- eu esperava outra coisa!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

 ele disse:

-não Dra. Eu vim no lugar da minha esposa porque ela tem Pânico e não consegue muitas vezes entrar em hospitais, fazer exames porque é o trauma de infância relacionado a isso, o Pânico em si tem muito a ver com doença, hospital e já vou avisando que ela demora meses pra conseguir fazer os exames e depois não consegue levar ao médico eu venho, mas como ela acha que eu não vou entender ela pede pra minha filha vir junto e explicar melhor.

Como ela já passou pelo mesmo problema entendeu e até indicou um médico que ela fez tratamento e se curou.

Gente pensa o meu marido que é supertímido capaz de ficar vermelho até hoje com alguma brincadeira sentadinho, esperando num consultório cheio de mulheres chamarem o meu nome e entrar sabendo que todos iam imaginar quando ele se levantasse?

... É sapatão e dos grandes kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk e a médica então uma pessoa vir em sua direção, um homem sem nenhum traço de homossexual, ela deve ter pensado; xi eu vou ter examinar um sapatão?

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Gente eu não consigo parar de rir, eu acredito que foi a situação mais inusitada na vida da Doutora e é claro que meu marido não imaginou que ia entrar num ambiente que só atende mulher, mesmo estando acostumado a passar vexame comigo.

Quando passo mal tenho que ir ao hospital à noite eles me colocam soro com medicamento e me aplicam um Diazepan que não faz efeito algum se o efeito não for satisfatório eles aplicam Aldol e me pede pra esperar mais uns 20 minutos e veem que nada aconteceu, eles já dizem logo que o que sempre ouço...

... Podemos dar um sedativo mais forte, mas você vai ter que ficar no hospital porque temos que monitorar sua pressão.

 Ah tá! Quando eles voltam pra me chamar cadê eu?  já tô do lado de fora do hospital ligando pro meu marido e avisando que já fugi que não vou ficar coisíssima nenhuma no hospital e que ele saia e venha pra ir embora.

Até aí tudo bem, ele já está acostumado, pois sabe que eu fujo, mas uma Ginecologista se ainda fosse UM Ginecologista talvez ele ficasse menos sem graça.

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk quando penso na situação eu não me aguento de rir e se não fosse comigo eu ia até achar que era uma piada, mas não é.

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

O pior vem agora, eu tive uma crise de pânico no dia que eu ia fazer os exames, não sabia o que fazer e eu pensei em desmarcar, mas meu marido disse que de jeito nenhum eu ia, eu subi peguei os exames piquei, ele ficou com uma raiva e eu disse:

-pronto agora não tem pedido pra exames mais, eu não ri porque ele ficou muito bravo e disse que não ia mais pegar pedido nenhum nem morto.

Também ele pagou o maior mico e eu rasguei tudo, o problema é que agora eu preciso fazer os exames, pois bate aquela preocupação, mesmo sabendo do martírio que vai ser e é claro que estou me sentindo culpada e com raiva também.

Aí eu me pergunto:

E agora José?

Se vocês não sabem que dirá eu.

Bom estou aqui confabulando com meus neurônios como vou ter coragem de pedir tudo de novo pra médica, aliás, para os médicos, o jeito é marcar nova consulta e explicar a verdade, é verdade mesmo, até cheguei à conclusão que desatei mais um nó e só estou Entre-Laços, quem sabe em breve eu reaprendo a fazer laços.
 

Nenhum comentário :

Postar um comentário